Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘fantástica’

Eu fiz uma pequena cirurgia na mão esses dias e, por isso, fui impedida de trabalhar; assim, para não cair no tédio total, fiz umas pequenas compras, tais como o livro que estou comentando agora e alguns dvds para passar o tempo.

Eu li Alice sem maiores pretensões e confesso que comprei essa edição do livro mais pelas ilustrações maravilhosas de Luiz Zerbini do que pela história em si, já que eu já havia lido o livro quando criança e, mesmo que não tivesse lido, já sabia da história fantástica e das aventuras surreais vividas pela personagem que dá título ao livro.

Quando se lê um livro como esse, acredito que a gente deve se despir de quaisquer julgamentos, ideais lógicos ou pensamentos estritamente racionais.

Acredito que não há mais nada a se tratar do livro, a não ser dizer: leia, leia, leia. É incrivelmente bem escrito e muito muito muito bom.

Apenas um pequeno aviso: para quem não sabe, o filme de Tim Burton que estreou na semana passada é uma mistura desse livro com o outro de Lewis Carroll, “Alice através do espelho”…

Eu comprei o meu por R$ 45.

Read Full Post »

Continuando a série de posts inspiracionais, um fato inusitado acontecido em Milão que, ao meu ver, só pode ser contado da maneira mais fantástica e cômica possível, bem ao estilo de Gabriel Garcia Márquez ou, quem sabe, bem raivosa como Henry David Thoreau (o escritor de “Walden”, livro da próxima resenha daqui).

O que dizer quando o Primeiro Ministro italiano, Silvio Berlusconi, que melhor serve no papel de cartola do futebol ou comediante escrachado do que como representante de uma nação, após fazer um discurso do seu partido  de centro-direita Povo da Liberdade (PDL), é atingido por um cidadão que faz tratamento psicológico há 10 anos com uma catedral em miniatura no rosto?

Toda a história já é, de per si, irônica e cômica, mas adicionando-se ao fato o dado de ser atingido por uma mini catedral no país-mãe da Igreja Católica o primeiro ministro que tem o currículo mais impressionante e risível que se tem notícia adiciona ainda mais tempero a tudo, o que me leva a crer que somente as escritas com uma boa dose de humor negro/sarcástico/sagaz de Gabo ou aquela que te sacode, te mostra a verdade e te deixa sem palavras como a de Thoreau seriam capazes de traduzir em palavras a beleza graciosa e icônica da situação.

Quase uma vingancinha pelos meus familiares. rs

O link para a notícia é esse.

Read Full Post »

Quando eu comecei a ler “O hobbit” eu estava tomada por grande ansiedade e entusiamo tendo em vista o presente que ganhei dos amigos do escritório e que provocou uma intensa maratona com o meu melhor amigo (que é expert no assunto): o box da trilogia d”O senhor dos anéis”!

Aventuras fantásticas e repletas de alegorias sempre me encantaram e acreditava que esta seria mais uma chance de verificar, nas entrelinhas, tópicos divinos e histórias intrincadamente alegóricas, apesar de Tolkien não assumir que a sua trilogia continha claras interpretações alegórico-teológicas.

Eu, no entanto, me enganei e, por ter criado muita expectativa quanto a isto, me frustei.

Não é que eu não tenha gostado do livro – eu adorei! -, mas como é dada uma grande ênfase às aventuras que os anões e Bilbo Bolseiro passam, eu me cansei um pouco.

É que a história se passa na terra média, anos antes da história que a maioria das pessoas conhece: nos é apresentado como é que Bilbo adquiriu o anel e, antes dele, Smeagol. Vemos também que Gandalf já esperava grandes coisas dele e, como sempre, os anões são seres mesquinhos e mãos-de-vaca; a única coisa que eu estranhei foram os elfos, que são rudes e ignorantes neste livro, diferentes da descrição que eu sempre conheci (e prefiro manter). A leitura, ainda, permite que a gente rememore grandes ensinamentos sobre lealdade, amizade e fidelidade.

Recomendo a todos que busquem uma leitura agradável e repleta de (boas) aventuras e, porque não, explicações para os principais livros de Tolkien.

O livro está em fase de transposição para o cinema, pelas mãos de Guilhermo Del Toro – acredito que boas coisas virão.

O livro é facilmente encontrado nas livrarias e o seu preço médio é R$ 50.

Read Full Post »